Passo a passo sobre o IPVA

O cronograma para pagamento do imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, ou o famoso IPVA, já está valendo (veja tabela abaixo). Em São Paulo, a taxa varia de 1,5% a 4% sobre o valor e o tipo de veículo. Proprietários de veículos a gasolina e os bicombustíveis (flex) recolherão 4% sobre o valor venal; álcool, eletricidade ou gás, ainda que combinados entre si, a alíquota é de 3%; as picapes cabine dupla pagam 4%; os utilitários (cabine simples), ônibus e microonibus e motocicletas recolhem 2% sobre o valor venal; e os caminhões pagam 1,5%.

O percentual da taxa, bem como o vencimento do imposto varia de estado para estado, mas, normalmente, acontece entre janeiro e março, de acordo com o final da placa.

Para quem não sabe, o imposto é Estadual, porém, 50% do valor pago é destinado ao município onde o veículo foi licenciado. Na teoria, o imposto destina-se ao financiamento de serviços para o bem comum como: saúde, educação, segurança e transporte.

O proprietário pode realizar o pagamento do IPVA por meio da guia de pagamento recebida no endereço de licenciamento do veículo (normalmente a residência), nas redes bancárias (para isso é necessário levar o documento do veículo) ou nos guichês do Banco 24 Horas (neste caso há uma pequena taxa de expediente).

Caso não tenha recebido o boleto em casa, o proprietário deve emitir a guia de pagamento pela internet (no site da Secretaria da Fazenda). Outra forma é comparecer nas agências dos bancos conveniados para fazer o recebimento do IPVA ou pagar diretamente no Banco 24Horas.

Se você perdeu a data de pagamento e o IPVA já está atrasado, basta entrar no site da Secretaria da Fazenda de seu Estado e imprimir a guia para efetuar o pagamento. O próprio programa de geração de guia faz o cálculo dos juros (20% de multa de mora e juros de 1% ao mês) e emite o boleto com o valor atualizado. Depois, é só pagar em um dos bancos cadastrados. Outra opção é dirigir-se a um dos postos da Secretaria da Fazenda.

A implicação para quem não paga o IPVA, além das multas e juros, é que o CRLV (Certificado de Licenciamento do Veículo) não será entregue pelo Detran enquanto o pagamento do IPVA não for efetuado. Sem o documento regularizado, pode haver a apreensão do automóvel. Para finalizar, não custa lembrar que, segundo um Decreto da Secretaria da Fazenda de São Paulo, veículos que forem roubados na cidade estarão isentos da taxa ou seus proprietários poderão pedir o ressarcimento do valor pago.

 

 


linha linha

Tem alguma dúvida? Deixe seu comentário.

Você também pode gostar de:

10 respostas para “Passo a passo sobre o IPVA”

  1. Camila Perez disse:

    Gostaria de saber se é possível fazer o parcelamento do IPVA quando no boleto não aparece o valor parcelado em três vezes, só o valor total com desconto e sem desconto.

    • Mariana Despachante.com disse:

      Camila,

      O IPVA está atrasado ou é o de 2014? Por favor, entre em contato conosco através do (11) 3027-6900, que ajudaremos na questão.

      Obrigada,
      Equipe Despachante.com

  2. MÁRIO LIMA SIQUEIRA disse:

    boa noite comprei um carro a placa esta de santo andre abc quanto gasto para tranferir aqui pra sp são paulo e pro meu nome?obg

  3. luisa disse:

    é possivel parcelar IPV atrasados

    • Equipe Despachante.com disse:

      Luisa,

      Se os mesmos encontrarem-se na Dívida Ativa, somente verificando na Secretaria da Fazenda.

      Obrigada,
      Equipe Despachante.com

  4. nelson disse:

    meu carro esta com 9 anos atrazado…e me disseram qe so pago as dua ultima é vrdd???

  5. Viviane disse:

    Paguei o IPVA referente a 2014 este mês,agora recebo o documento ou tenho que pagar o de 2015 para receber?

Deixe uma resposta