Riscos do combustível adulterado

Despachante.com revela agora os motivos que estragam os carros por mal uso de combustíveis
Se você não conhece a bandeira do posto que irá abastecer ou, se o valor cobrado está muito abaixo do mercado, cuidado, seu automóvel pode estar sendo vítima de postos com combustível adulterado.

Fonte: Google

Fonte: Google


Fora das especificações legais, a gasolina adulterada (que possui mais álcool ou mais solvente do que a lei permite), infelizmente hoje está presente em muitos postos, desrespeitando os valores dos consumidores. Segundo a lei, 2% é o limite máximo de solvente que pode ser misturado na gasolina e em 24% de álcool. Ao misturar os solventes, que são produtos químicos de baixa qualidade e mais baratos no combustível, o dono do posto possui uma rentabilidade (lucro) de 10% em seu negócio, violando todas as regras.
Porém, isso representa um enorme prejuízo para aquele consumidor que se acha esperto e ainda abastece seu carro com esse tipo de combustível, pois o carro perde muito em desempenho, consumo e, por fim, o consumidor pode desembolsar muito mais em uma oficina mecânica, já que adulteração da gasolina representa um grande risco para o bom funcionamento do carro.
O órgão que fiscaliza a rede de distribuição e postos brasileiros é a ANP – Agência Nacional do Petróleo. Ao total, a agência conta com poucos fiscais para inspecionar as 170 distribuidoras e cerca de 23 mil postos e o que é pior: a falsificação da gasolina é muito difícil de ser detectada, pois se a concentração de solvente for menor do que 25%, mesmo estando muito além do que permitido por lei, dificilmente essa mistura será notada. Infelizmente, essas análises só são possíveis de serem realizadas em laboratórios, o que implica ainda mais a fiscalização.
Para se ter uma ideia da grandeza de adulterações, a cada quatro postos, um desrespeita as normas de composição da gasolina, segundo dados do Sindicato das Distribuidoras e Revendedoras de Combustíveis. É aconselhável que o motorista abasteça somente em postos de grandes redes. Veja, abaixo, os riscos que o consumidor tem ao abastecer com combustível adulterado frequentemente:

  • Entupimento da bomba de gasolina que fica no tanque e leva o combustível até o motor, causando falhas no carro e, consequentemente, o motor “morre”, sendo necessário realizar inúmeras partidas para que ele volte a funcionar. O valor para conserto fica em torno de R$300,00;
  • Corrosão do sistema de injeção eletrônica, conjunto de peças que injetam a quantidade exata de gasolina nos cilindros para que o motor funcione, evitando assim, os desperdícios. Caso esse sistema pare de funcionar, o carro também para, aí o prejuízo é ainda maior: cerca de R$1.500,00, em veículos populares;
  • Outra possibilidade é o acúmulo de resíduos na parte interna do motor, causado pela queima de gasolina adulterada, que ocupam espaço de movimentação das peças móveis do motor, dificultando a articulação dessas peças, podendo atingir também, a bomba de óleo do veículo. Geralmente, esses defeitos demoram mais para aparecer, cerca de cinco mil quilômetros depois dos primeiros abastecimentos adulterados. O problema é que o motor pode fundir e seu conserto não sai por menos do que R$1.200,00, dependendo do veículo.

Fique atento e não deixe se enganar. Abasteça somente em locais confiáveis ou em grandes redes.

2013-08-15T08:00:34+00:00 agosto 15th, 2013|Carro|0 Comentários

Deixar Um Comentário